Her


Essa semana assisti Her, já tinha ouvido muito bem do filme, só enrolei para assistir mesmo. Amei. O filme se passa um pouco no futuro, quando desenvolvem sistemas operacionais (OS) de inteligencia artificial, capazes de sentir e crescer com suas experiencias. O filme acompanha Theodore, personagem meio deprimido, passando por um divorcio, que acaba de comprar seu OS, Samantha.
Samantha faz ele voltar a se divertir, ela o acompanha nos momentos ordinários e ele acompanha o crescimento dela, ela descobrindo e questionando seus sentimentos, se eles podem ser reais ou só fazem parte da programação dela. A relação deles muda, passa por diversas fases, afinal, é possível ter um relacionamento com alguém que não possui corpo físico? O filme é meio paradinho, mas vale a pena.
O filme me levou a mais de uma reflexão. A primeira um pouco deprimente, é que muitas pessoas nos cenários estavam focadas em seus aparelhos, a interação interpessoal no filme é mínima e a critica tem fundamento, cada vez mais as pessoas se tornam autocentradas e tem dificuldade de lidar com os sentimentos alheios.
A parte positiva é que ninguém parecia se surpreender ou julgar as relações entre pessoas e OSs, a ideia de um amor livre é realmente inspiradora. Também o fato de amar a pessoa por sua personalidade, sem relação física, sem se basear em beleza. Um amor platônico, não realizável, muito bonito, mas para alguém como eu com pouca fé na humanidade e que dificilmente acredita em relacionamentos a distancia não passa de um ideal.

7 Sinais De Que Você Esqueceu Seu EX


A maioria de vocês já passou por isso, eu já passei, tenho alguns amigos que estão passando agora, e a melhor sensação que existe é a de poder dizer depois estou livre. A gente sempre acha que não vai passar, mas passa. Não sinto mais nada. Parar de olhar pra traz e deixar os olhinhos brilharem de expectativa pelo que estar por vir. Acabei me deparando com um post 4 Signs You're Finally Over Your Ex no face, me diverti e decidi fazer um também :)

1. Você parou de checar o facebook dele toda hora. Os primeiros dias são dificeis, você quer ver onde ele foi, com quem ele estava, se adicionou alguma menina ou se alguem curtiu as fotos dele. TODA a informação parece essencial. Até que você para de ver todo dia, para de ver toda semana, para de ver! Agora você nem lembra que tem ele adicionado.

2. As músicas da sua playlist não te fazem mais chorar. Ou até fazem mas não parece que toda música de desilusão foi feita especialmente para você.

3. Você consegue assistir comedias românticas de novo. E o mais importante, ficar feliz com elas e se emocionar, não fica mais repetindo na sua cabeça porque aquilo não aconteceu com você e como sua vida é uma bosta.

4. Não parece mais que TUDO faz você lembrar dele.

5. Você deixa de ficar aliviada por vocês se evitarem e começa a achar ridículo. Antes não cruzar diretamente com ele no corredor da faculdade era um alivio, agora se ele te vê e desvia você acha que é atitude de criança.

6. Você não tem nada contra a atual dele ou seja lá quem ele pega na balada. Você nem faz questão de saber na verdade, mas se ele esta feliz, bom pra ele, você tem sua própria vida para cuidar.

7. Não é assustador passar o dia dos namorados sozinha. Alias, você nem lembra que é dia dos namorados! Mas temos que admitir que a copa deu uma ajudinha pra gente esse ano né?



Créditos da foto: Eduardo Acierno

Tirinhas

Eu tenho que admitir que nunca dei muita importância para tirinhas, claro que como ser humano normal eu era apaixonada por Calvin e Haroldo e tive que discutir mil tirinhas da Mafalda no cursinho mas nunca fui alem. A questão é que tirinhas são mais legais quando você acompanha o trabalho do autor e a maioria das pessoas simplesmente ri e deixa pra lá, não procura saber mais. Esse mês curti no face o trabalho de dois cartunistas excelentes, que talvez alguns de vocês que apreciem mais a arte conheçam mas eu tive vontade de compartilhar mesmo assim.

O cartunista Orlandeli tem vários personagens, mas o que realmente me cativou foram as tirinhas do Pie e Phiu com criticas acidas sobre o pensamento medíocres e materialistas.


O segundo Munhoz me cativou com as tirinhas de velhinhos meio mafiosos (acredito que o nome sejam Os Orestes) e eu dei até que umas boas risadas com o Pai coruja.


Anime: Noragami


Eu não sei vocês mas dos animes da temporada passada eu só gostei de um. Noragami em seus poucos 12 episódios me deu a sensação de anime bom e completo que falta em alguns títulos e ao mesmo tempo me deixou com gostinho de quero mais para ler o mangá (coisa que eu não sentia desde Kamisama Hajimemashita).

O anime gira em torno da divertida Hiyori, uma colegial que um dia empurra um desconhecido da frente de um caminhão e... morre?!? Na verdade quase, o desconhecido era Yato um Deus que a salva como "pagamento", mas não funciona muito bem, e a alma de Hiyori adquire o anormal habito de deixar o corpo. A menina acaba acompanhando as desventuras deste Deus pobre e sem seguidores na esperança que um dia ele resolva sua situação. 

Posso citar muitos pontos positivos neste anime: uma mistura bem sucedida de ação e romance, a personagem principal tem uma personalidade cativante, personagens secundários interessante, traço fofíssimo. Minha nota pra ele se não foi 10, foi bem próxima ❤

Por menos carência e mais carinho

É um erro comum, alguns fazem sem querer, outros de proposito, outros ainda o cometem torcendo para que estejam enganados. Todos fazemos. Uma vez, duas, três. Todos também já estivemos do outro lado. E tudo que podemos fazer é tentar evitar.
Não é difícil confundir as coisas, você conhece uma pessoa e ela parece tão legal. Vocês conversam, saem, a companhia é tão boa, possuir a atenção dele é bom e ser carinhosa também. Ai vocês se apegam... não, pera aí: você não se apega. Já não estava na hora de você estar rabiscando coraçõezinhos e contando as horas para vê-lo? Será que a relação que está indo rápido ou o carinho era só carência? 

Descobri em mim o que eu chamei de erro pós namoro; Quando termino um namoro longo a primeira pessoa adoravelmente boa que me der uma chance terá seu coração despedaçado. Foi assim a primeira vez, foi assim da última. Pelo simples motivo que palavras doces não criam compatibilidade, por mais que eu queira, por mais que eu tente. E isso me pesa na consciência. Muito.

Isso era para ser uma campanha pessoal, por uma vida com menos carência e mais carinho. Real e genuíno. Mas quem sabe algumas de vocês não queiram aderir não é?

OBS¹: Me perdoem o sumiço, tive uma crise criativa/trabalho difícil/computador quebrando não nessa ordem, mas juro voltar ao normal.
OBS²: A foto belíssima foi retirada daqui.